Daff

O Daff, nome que recebe no Líbano, é um pequeno pandeiro feito em anel de madeira e revestido empele de peixe ou carneiro. Possui cinco címbalos duplos, totalizando um conjunto de dez címbalos que produzem grande sonoridade. Possui também sua versão moderna em aro de metal e pele de nylon. No Egito, recebe a denominação "Riq". Partindo da análise de sua sonoridade, podemos chamá-lo de "pandeiro tenor" e a Mazhar, que veremos mais adiante, de "pandeiro grave".

 

Há 3 formas de se tocar esse instrumento:

A- Utilizando todos os címbalos.

B- Utilizando parte dos címbalos.

C- Utilizando apenas a membrana de couro.

 

Como bem enfatiza Vitor Abud Hiar, o Daff tem como principal objetivo ostentar o ritmo árabe. Na sua opinião, a versão moderna do Daff não é vista com bons olhos, uma vez que esta quebrou, de certa forma, a tradicionalidade e pureza sonora de sua versão tradicional. No Brasil, o Daff somente passou a ser conhecido pelo público em geral na metade dos anos 80.

 

Esse instrumento juntamente com Derbakke e os Snujs, foram os primeiros instrumentos de percussão árabe a serem usados por músicos no Brasil. Fuad Haidamus fora o primeiro percussionista a tocar Daff em shows neste país.