Estudos > Bailarinas > Samia Gamal

Samia Gamal

A dançarina egípcia Samia Gamal, nascida Zainab Ibrahim Mahfuz, é um ícone da dança do ventre no mundo inteiro. Estrela da época de ouro do cinema egípcio, Samia estrelou diversos filmes, chegando até a ser reconhecida em outros países, como nos Estados Unidos.

Natural da cidade de Wana, nasceu em 22 de Fevereiro de 1924. Mudou-se com a família logo depois para o Cairo, onde veio a conhecer anos depois a também atriz e dançarina Badia Massabni, criadora do estilo moderno de dança do ventre egípcio (estilo cabaré). Samia foi convidada por Badia a integrar sua companhia de dança, passando a adotar o nome Samia Gamal a sugestão de Badia. Juntas ainda de Tahia Carioca fizeram muitas apresentações.

 

A imagem de Samia, no entanto, não ficou por muito tempo associada à Badia, ela passou a se destacar ao mesclar balé e estilos latinos (salsa, merengue, tango, etc) ao seu vocabulário de dança e inovou ao ser a primeira dançarina do ventre a dançar de salto alto! Além do seu talento, Samia teve um anjo da guarda poderoso: Farid Al Atrash, um grande compositor, cantor e também ator, que fez uma dúzia de filmes com ela. A proximidade com Farid acabou despertando uma grande paixão, que durou 11 anos, mas nunca foi oficializada, pois Farid não aceitava se casar com Samia. Uns dizem que era porque ele pertencia a uma classe alta da sociedade egípcia, outros dizem que ele acreditava que o casamento limitaria ou até mesmo destruiria o talento de um artista. Seja lá o que for, Samia não foi a única amante do compositor, do qual permaneceu amiga até o fim da vida.

A ajuda de Farid Al Atrash foi decisiva para Samia alavancar sua carreira, ela passou a ser estrela de diversos filmes e de diversos nighclubs da alta sociedade. Nos anos 50, Samia foi morar nos EUA, onde se casou com um milionário texano, mas o casamento não durou muito. Em 1958, Samia se casou novamente com Roshdy Abaza, um famoso ator egípcio, com quem ela também atuou em diversos filmes.

Samia interrompeu sua carreira em 1972, mas voltou a dançar no início dos anos 80 por insistência do ator e amigo Samir Sabri. Em 1994, Samia faleceu no Cairo aos 72 anos de idade. Apesar da grande perda para o mundo artístico e cultural do Egito e também do mundo bellydancer, a imagem de Samia não desapareceu. Ela permanece sendo enaltecida e relembrada em diversos filmes, tendo já vários documentários sobre sua vida, o mais recente Samia Foverer de 2003.